Pesquisa realizada pela Universidade de Houston pode levar a um novo tratamento para o lúpus

Sempre tenho muita esperança na medicina. E quando leio uma notícia como essa, a esperança só cresce! Claro, óbvio, que ainda tem muita coisa para se estudar, não é nada concreto, mas já é uma esperança!
Abaixo está a tradução do artigo do site Bio News Texas. A notícia é do dia 23 de Setembro de 2014, reportagem da Leonor Mateus Ferreira.
Foto retirada da internet

Foto retirada da internet, ainda não é o remédio pesquisado!

Um novo tratamento para o lúpus pode ter sido descoberto por um grupo de engenheiros biomédicos da Universidade de Houston (UH), no Texas, que desenvolveram uma droga que, ao contrário dos tratamentos atuais para a doença, não tem uma longa lista de efeitos colaterais e riscos. O lúpus, ou lúpus erimatoso sistêmico, é uma doença progressiva do sistema imunológico, que afeta tecidos saudáveis, células e órgãos.

Não há cura para o lúpus, e não se espera para um futuro próximo. No entanto, a equipe de investigação liderada por Chandra Mohan está trabalhando em uma terapia natural, utilizando um produto químico derivado de plantas. Durante a investigação, os engenheiros trabalharam sobre a utilização de um composto derivado de plantas sintéticas, chamado CDDO, que podem ser eficazes na supressão da evolução da doença em ratos, tal como doença renal, uma das consequências mais comuns no lúpus.

Uma das complicações médicas associadas ao lúpus é a nefrite lúpica, uma doença que ataca os rins e afeta cerca de 40 por cento da população dos pacientes com lúpus. Ela provoca inflamação dos rins e desabilita o órgão para que ele não possa expulsar corretamente os resíduos do corpo e as toxinas, como normalmente faz. A nefrite lúpica, não só conduz a dezenas de milhares de internamentos anuais, mas também pode ser mortal.

“O desenvolvimento do lúpus é uma reação de duas etapas“, disse Mohan, enquanto explicava que os pesquisadores ainda não entendem como CDDO é capaz de suprimir a progressão do lúpus. Em primeiro lugar, o sistema imunológico desenvolve anticorpos que atacam o próprio DNA do corpo, em seguida, aquele sistema imunológico ativado ataca os rins. Descobrimos que o CDDO pode bloquear ambos os passos .

A única droga aprovada para o tratamento de lúpus, a qual tem sido comercializada há mais de 50 anos, é a partir da família de esteróides, uma classe de fármacos imunossupressores utilizados para retardar a progressão da doença. No entanto, este novo tratamento, o qual é derivado de plantas, leva menos riscos de infecção e de efeitos secundários.

A parte mais interessante da pesquisa é que o CDDO é originalmente de origem vegetal, por isso é relativamente natural e tem menos chance de efeitos colaterais”, disse Mohan. “Isso é um ponto muito importante, porque muitos dos agentes terapêuticos atuais que estão sendo utilizados para o lúpus têm efeitos colaterais significativos. Na medida em que nós testamos nesses experimentos, descobrimos que o composto CDDO não teve efeitos secundários conhecidos. Além disso, em comparação com muitos outros compostos de teste, que tentamos anteriormente para o tratamento de lúpus, este parece ser muito mais eficaz .

Os pesquisadores planejam continuar com os seus estudos, a fim de compreender o funcionamento do CDDO no sistema imunológico, e se ele é capaz de suprimir a ativação de vias de sinalização específicas que levam ao desenvolvimento do lúpus. A pesquisa agora irá ao laboratório e, enquanto não for capaz de ser testada em seres humanos, Mohan disse que os resultados do estudo anterior incentivam a ideia de que um tratamento natural é mais eficaz e pode ajudar os 1,5 milhões de norte-americanos e pelo menos cinco milhões de pessoas no mundo que sofrem de lúpus.

Os resultados da pesquisa foram publicados recentemente na revista Arthritis & Rheumatology, a revista mensal do American College of Rheumatology. Além de Chandra Mohan, a equipe da UH Cullen College of Engineering inclui Hugh Roy e Lillie Cranz Cullen do departamento de engenharia biomédica. A pesquisa tinha sido recentemente recebido uma doação de US$ 200.000 da Alliance for Lupus Research, pois acredita-se que seja capaz não só de promover o tratamento de lúpus, mas também para reduzir as dezenas de milhares de hospitalizações anuais causadas ​​pela nefrite lúpica.

Dedos cruzados! Vamos torcer para que esta pesquisa siga em frente e que estes resultados sejam mais que positivos! Já pensou um remédio sem os efeitos colaterais dos que tomamos atualmente? 🙂
Anúncios

6 thoughts on “Pesquisa realizada pela Universidade de Houston pode levar a um novo tratamento para o lúpus

    • Boa noite! Estes testes foram realizado em ratos, ainda não existe previsão de quando farão em humanos. E esta pesquisa está sendo realizada nos Estados Unidos. Não há nenhuma informação de nenhuma pesquisa como esta realizada aqui no Brasil, até o momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s