Lúpus não é uma doença transmissível

Já falamos sobre este assunto aqui no blog, mas é sempre bom lembrar que o lúpus não é uma doença transmissível, o lúpus não “pega” de uma pessoa para outra, não é contagioso. Lúpus não é um tipo de Aids!

Ainda existem muitas, muitas perguntas que estão sem respostas. E, quando posso, venho divulgar um pouco minha experiência e alguns fatos que estão em vários sites de organizações sérias que trabalham para uma possível cura.

Quando descobri que tinha lúpus eram tantas, tantas perguntas na minha cabeça e poucas pessoas para responde-las! Eu tinha 17 anos quando descobri, e o meu médico da época disse que era uma doença como a Aids. Não existem palavras para descrever o que senti. Eu estava doente, estava fraca, com dores em cada parte do meu corpo, e um homem que conheci a pouco mais de uma semana me fala que eu tenho uma doença que é tipo Aids. Ficamos em silêncio por cerca de 2 minutos, que para mim, pareciam 2 horas. Sabe aquela história que algumas pessoas contam quando estão passando por alguma situação de perigo? Que passa um fillme da sua vida? Pois é… Passou.

Depois desses 2 minutos, meu pai finalmente pergunta se ele poderia esclarecer melhor. Finalmente ele começa a explicar que o Lúpus é uma doença autoimune, como a Aids, só que o oposto. Na Aids seu sistema imunológico está suprimido, ou seja, sua defesa está baixa, enquanto que no lúpus sua defesa está alta, ou bagunçada, fazendo com que seu corpo se ataque, células boas são atacadas pois o seu corpo pensa que são uma ameaça. Lembro de ter perguntado se eu iria morrer, e ele dizendo que anos atrás muitas pessoas morreram mas que devido a novos medicamentos, o lúpico poderia ter uma vida normal.

Enfim, depois desse médico fui a um especialista em lúpus que me deixou muito mais tranquila. O lúpus é uma doença grave sim, mas que se tratada de acordo, seguindo todas as recomendações médica, sua vida é tão normal como qualquer pessoa saudável. Fico feliz em dizer que hoje eu vivo minha vida da melhor maneira possível. Vivo normalmente!

Para continuar, vou colocar mais um artigo, desta vez da Lupus Foundation NY.

Quem tem lúpus?

Lúpus afeta 1 milhão e meio de americanos (não tenho este número para o Brasil) e milhares no mundo inteiro.

A causa do lúpus é desconhecida, mas sabe-se que a genética e hormônios possuem um importante papel.

Noventa por cento são jovens mulheres

A maioria das pessoas com lúpus – 90 por cento – são mulheres, e desenvolvem os primeiros sinais e sintomas da doença entre 15 e 44 anos.

Como adultos, a proporção de homens que desenvolvem lúpus é bem menor que mulheres.

O cenário é muito diferente em pessoas com menos de 18 e mais de 50 anos, quando tanto homens quanto mulheres desenvolvem a doença.

Muitos homens lutam com a ideia de que eles tem uma “doença de mulher”, aliás é importante lembrar que a doença nada tem a ver com virilidade.

Algumas crianças são afetadas

Do grupo de 1 milhão e meio diagnosticados com lúpus nos Estados Unidos, estima-se que de 5.000 a 10.000 são diagnosticados antes de completar 18 anos.

Uma em cada três crianças com lúpus apresentam a doença em um estágio mais leve, mas muitos apresentam o lúpus mais moderado que de tempos em tempos pode se tornar grave, mas respondem bem ao tratamento.

O lúpus afeta mais negras, latinas e mulheres indígenas americanas

As mulheres negras são três vezes mais propensas em ter lúpus e desenvolver sintomas graves do que mulheres brancas.

E a doença é duas vezes mais prevalente em asiáticas e latinas do que em brancas. Mulheres indígenas americanas também são afetadas.

Aqui vão mais alguns fatos baseados em estudos:

  • Mulheres negras e latinas com lúpus tendem a desenvolver a doença mais cedo, desenvolvem grande atividade do lúpus como problemas renais, e no geral tem mais complicações que mulheres brancas.
  • Latinas tiveram um pior prognóstico do que as mulheres brancas, eram mais propensas a ter um envolvimento e danos renal, e mostrou uma taxa mais rápida de insuficiência renal.
  • Mulheres negras tem uma frequência maior de problemas neurológicos, como convulsões, hemorragia e acidente vascular cerebral.
  • Latinas tiveram um nível mais elevado de doença cardíaca.

Um grande abraço e até a próxima!

Patrícia

16 thoughts on “Lúpus não é uma doença transmissível

  1. Ola,
    fiquei feliz e triste ao ler.
    Feliz por ver como é possivel ter uma vida normal e triste porque acabo de perder uma grange amiga e pouquissimo tempo… pelo pessimo atendimento no S.U.S… diziam que era reumatismo, artrite, artrose… não era nada… era tudo… e no fim só descobriu quando ela ja estava em estado crítico… o tempo pra ela vir a falecer foi em mais ou menos dois meses.

    Continue a falar sobre o assunto.
    Você é mais que uma vencedora!
    Deus te abençoe.

    Se quiser entrar em contato comigo, será um prazer conhecê-la:
    william.calixto.barbosa@gmail.com

    Facebook: william barbosa

    • Oi William! Você não imagina o quanto dói saber que uma pessoa morreu devido ao lúpus… Quando comecei a escrever e a divulgar informações do lúpus neste blog, o meu objetivo era o de divulgar ao máximo e aumentar a conscientização a respeito da doença. Eu sei o quanto é difícil, senti na pele essa dificuldade para ter um diagnóstico e finalmente começar o meu tratamento. Hoje vivo bem, com algumas restrições, mas quem não tem não é mesmo? Sou muito grata por ter tido condições de passar por mais de um médico, inclusive em outras cidades. E sei que a realidade no nosso país, principalmente na área da saúde, é além de precária… Não existe um apoio efetivo para pacientes crônicos, ainda mais para uma doença como o lúpus, que se mascara de outras doenças, é considerada uma doença “invisível”, pois alguns sintomas realmente não são visíveis, ficando assim ainda mais complicado ter um tratamento adequado. Precisamos de mais conscientização, precisamos de mais médicos engajados, de mais campanhas de saúde para consientizar médicos, pacientes, e população em geral. Meus mais sinceros sentimentos por sua perda… Continuarei na minha pequena, porém importante, luta na conscientização. Abraços

  2. Olá. Tenho Lúpus desde os 15 anos, hoje estou com 47… realmente, graças a novas pesquisas e medicações, tenho uma vida relativamente normal. Tenho nefrite e agora apareceu tb o discóide. Fui premiada!! Apesar de td, Deus é generoso comigo. Sempre consigo sair das crises e tenho um filho lindo que vai completar 20 anos.
    Muito importante todas essas informações e esclarecimentos, pois existe o preconceito.
    Mas, somos mais que vencedoras!!
    Continue seu trabalho, pois tenho certeza q está ajudando muits gente.
    Bj no ♡.

    • Muito obrigada Sheila! Fico muito feliz quando recebo mensagens assim! Gostaria de ter mais tempo, e disposição, para alimentar o blog com mais informações, com mais frequencia! Mas tento ao máximo mantê-lo atualizado! Um grande beijo

  3. Muito bom ter essas informações. Estava me perguntando msm se era transmissível… Tenho 17 anos e descobri a doença ano passado, mas ainda não precisei começar o tratamento pois não tenho tds os sintomas, no entanto os exames já comprovam a doença. O negócio é ir se cuidando ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s